domingo, 5 de janeiro de 2014

A vitima perfeita

By on 13:57



Australia - No instante em que a adolescente Rachel Barber não desce do trem no ponto em que o pai a esperava, o medo toma conta de sua amorosa família. Seus pais, irmãs e amigos unem-se numa busca que não consegue motivar a polícia local. Acostumados a procurar jovens em fuga, os investigadores não percebem a gravidade da situação. Boa aluna e filha, bailarina dedicada, namorada apaixonada, Rachel ama sua vida e não tem motivos para desaparecer. Mas ela cometeu um erro fatal, saiu sem dizer aonde ia.

Pessoas menos ingênuas do que Rachel Barber talvez tivessem cometido o mesmo erro de avaliação; o mal nem sempre é evidente e pode vir disfarçado como bem. Inspirando-se num caso real, A Vítima Perfeita foi crédula o bastante para confiar em alguém que lhe pedia sigilo absoluto, omitindo informações a seus pais.

Os momentos de horror dessa história nasceram dos sentimentos atribulados de uma pessoa que não se sentia amada e permitiu que a inveja proliferasse em seu coração. Manda a sabedoria banirmos os pensamentos negativos logo que surjam - são inevitáveis - respirar fundo quando a angústia espreita e reescrever nosso roteiro interno, antes de sermos sobrecarregados por uma emoção destrutiva. Isso é algo que deveria fazer parte de nossa educação emocional e foi bem descrito pelo psicólogo Daniel Goleman em Emotional Intelligence: Why It Can Matter More Than IQ (1996).

0 comentários:

Postar um comentário